Ética no uso da IA na cadeia de suprimentos__

Por Christine Salomão, jornalista – diretora de conteúdo da ebdi. Ética no uso da IA na cadeia de suprimentos.

A ética no uso da IA na cadeia de suprimentos é uma preocupação crescente dos gestores da área. Afinal, `a medida que a Inteligência Artificial (IA) se torna parte integrante da gestão da cadeia de suprimentos, é crucial considerar não apenas os benefícios operacionais, mas as implicações éticas que essa tecnologia pode ter.

Ou seja, é importante assegurar que a implementação da IA seja guiada por princípios éticos sólidos garantindo a transparência, a responsabilidade e a  equidade em todo o processo. A transparência, por exemplo, é essencial para que todas as partes envolvidas na cadeia de suprimentos compreendam como a IA está sendo usada e tomem decisões informadas.

Isso também envolve a divulgação de como os algoritmos foram treinados e quais dados estão sendo utilizados. E neste contexto, é importante proteger a privacidade e a segurança dos dados, respeitando os regulamentos de proteção de dados. Já a responsabilidade desempenha um papel fundamental na ética da IA na cadeia de suprimentos porque as empresas são responsáveis pelas decisões e ações de seus sistemas.

A IA não deve ser usada como uma maneira de evitar a responsabilidade humana. Além disso, a equidade é um componente crucial da ética na cadeia de suprimentos com IA porque os  algoritmos podem inadvertidamente perpetuar preconceitos e discriminação se não forem devidamente projetados e monitorados.

Portanto, é fundamental garantir que a IA seja treinada de forma justa e imparcial, considerando diferentes grupos demográficos e evitando viés injusto. Outra consideração ética importante é o impacto da IA na força de trabalho.

Embora sejam grandes os benefícios da IA para aumentar a eficiência e a automação na cadeia de suprimentos, isso pode resultar na substituição de empregos. Por isso, é extremante importante que as empresas planejem transições suaves e ofereçam oportunidades de treinamento e recolocação para os colaboradores afetados.

Segundo pesquisa Gartner: “A cadeia de suprimentos deverá centrar seu modelo de trabalho no ser humano. A força de trabalho deverá ser prioridade para as organizações, que deverão ser capazes de fornecer propostas de valor que sejam eficazes para atrair, reter e envolver o talento da escassa mão de obra disponível. Para garantir que isso ocorra, as empresas devem criar culturas e experiência flexíveis, significativas e gratificantes aos colaboradores, dando a eles autonomia, compreensão, valorização e cuidados”.

A ética no uso da IA na cadeia de suprimentos também envolve considerações ambientais. A sustentabilidade e a responsabilidade ambiental devem ser incorporadas às decisões tomadas com o uso da IA, a fim de minimizar o impacto negativo no meio ambiente.

A IA pode, por exemplo, ser usada para promover a sustentabilidade na cadeia de suprimentos através da otimização do transporte e da roteirização. Algoritmos de IA conseguem analisar uma gama de variáveis, como distância, capacidade de carga, emissões de carbono e restrições de tráfego, para encontrar as rotas mais eficientes e ecológicas na entrega de produtos. Isso não apenas reduz os custos operacionais, mas também minimiza a pegada de carbono associada ao transporte.

Para se aprofundar sobre esse e outros temas importantes, participe do SAB Supply Chain 2024. Realizado pela EBDI, o  Encontro, uma imersão de 3 dias, reunirá os principais líderes da cadeia de suprimentos do País. Mais informações, clique aqui (vagas limitadas).

Gostou deste artigo? Confira mais em nosso blog e compartilhe nas redes sociais!

LinkedIn
Email
Facebook
Twitter