Gerenciamento de dados: a chave para a vantagem competitiva__

O gerenciamento de dados é um dos ativos mais importantes de uma empresa. As análises corretas das informações interferem no sucesso das ações estratégicas das organizações e as tornam mais competitivas. Por outro lado, transformar dados em informações úteis – confiáveis – não é tarefa fácil.

Parte do problema é que os dados ganham vida própria ao serem analisados por ferramentas inteligentes e não são questionados. Isso acontece porque geralmente é grande o fluxo de informações que entram em uma organização e rapidamente elas se tornam alicerce para a geração de novos dados.

Por isso, a importância de se analisar a base de dados para qualificar o processo de tomada de decisão. Mas a maior parte das empresas utiliza as informações para otimizar operações, sendo que a Data Governance é a chave para a vantagem competitiva.

Gerenciamento de dados interfere no sucesso das ações estratégicas

O gerenciamento de dados interfere no sucesso das ações estratégicas das empresas. Com dados precisos e relevantes, fica mais fácil fazer projeções e entender o mercado. Principalmente agora com a aceleração da transformação digital, fruto da pandemia de Covid-19, é necessário se reinventar criando novas formas de prestação de serviços.

Mas para obter eficiência na análise de dados, as organizações precisam repensar, a longo prazo, a forma de lidar com o fluxo de informações. O processo começa no questionamento da captura dos dados: de onde vieram, são confiáveis etc. E continua a cada etapa seguinte, levando-se em consideração os benefícios (ou não) das informações para o sucesso das ações estratégicas da empresa.

O armazenamento de dados também necessita de uma estratégia sustentável. Não adianta investir em ferramentas de ponta e não saber usá-las. Segundo Alexandre Gonzales, architecture manager da Vale, “entender seus casos de uso, começando com ‘por que’ em vez de ‘o que’ é um fator importante na determinação da tecnologia de repositório de dados em sua estratégia de governança de dados”. 

Ele acrescenta ainda que “usar um Data Lake para casos de uso que requerem esquemas rígidos ou usar um banco de dados tradicional para armazenar dados não estruturados leva à ineficiência e aumento de custos. Apenas ‘acreditar’ em alguma tecnologia e mencionar um jargão duas vezes ao dia não é garantia de sucesso”. Leia artigo na íntegra aqui.

Gestão de dados: com evitar riscos?

Os riscos ocorrem quando o gerenciamento de dados não é realizado de forma eficiente. A começar pela adoção de uma política de backup, com rotinas bem definidas para evitar perdas de informações. Não investir em segurança, produtos licenciados e em um sistema que monitore regularmente o ambiente (crescimento do fluxo de dados etc) também são problemas básicos.

Mas a mensuração de riscos na gestão de dados é muito mais complexa. Se você quiser se aprofundar neste e outros assuntos imprescindíveis para o sucesso no gerenciamento das informações,   se  reúna com líderes da área de tecnologia e saiba como eles estão operando na prática. Clique neste link e participe do Data Governance – a reunião virtual terá, no máximo, 50 executivos.

Gostou deste artigo? Confira mais em nosso blog e compartilhe nas redes sociais!

Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter