10 dicas infalíveis para uma boa apresentação__

Falar bem publicamente é um desafio constante. Pensando nisso, separamos para você dicas para a preparação de uma apresentação impactante, incluindo táticas para superar o medo de falar em público. Fazendo uso destas técnicas, comunicar-se com eficiência será mera consequência.

Leia-se “comunicar-se com eficiência” como promover o entendimento de maneira a provocar novas trocas de conhecimento. 

Para tanto, mediante o uso de recursos técnicos de oratória e apresentação pessoal, fica mais fácil persuadir os interlocutores e se tornar bem sucedido em expor pensamentos e ideias.

Então, quer descobrir como fazer uma apresentação inesquecível? Vamos às dicas!

Confira as 10 dicas para uma boa apresentação:

1

Comece pelo briefing

Inegalvemente para discursar perfeitamente, tudo começa com a definição do escopo da palestra. Em outras palavras, define-se qual o objetivo e a dimensão que a apresentação tomará.

Nessa fase, mensure todos os dados que poderão interferir no planejamento do discurso (objetivo, público, assunto, local) para, só então, traçar um plano de ação e executá-la.

Portanto separe um arquivo com informações e dados relevantes, uma lauda ou duas laudas são suficientes (a extensão do estudo varia de acordo com a duração da apresentação).

2

Planeje a apresentação, estruture uma história

O bom palestrante é, antes de tudo, um excelente storyteller.

A aptidão genuína de contar histórias é para poucos, mas, usando as técnicas adequadas, todo mundo pode se transformar num excelente orador.

Nessa fase, crie um roteiro e o estruture na forma de Storytelling (aqui a criatividade não deve ser comedida). Para que a palestra ocorra de modo progressivo e dinâmico, o planejamento do conteúdo desse seguir a seguinte lógica:

Estrutura de um Storytelling para uma boa apresentação

- Introdução:

  • Comece com um pequeno resumo do que vai abordar e com uma breve apresentação pessoal;
  • Evite prolongar-se muito, sua missão nesse contato inicial é conquistar a audiência e desarmar uma eventual resistência do público.

- Desenvolvimento:

Em seguida, vá para a etapa de maior aprofundamento do conteúdo; aqui, o palestrante faz a demonstração do tema expondo argumentos de validação destas informações.

Com efeito, deve-se levar de cases práticos, dados comparativos, estatísticas, depoimentos, ou seja, tudo aquilo que legitime o seu discurso.

- Conclusão:

Para concluir faça outro breve resumo, mas dessa vez recapitulando os aspectos mais importantes da preleção.

Surpreendentemente aproveite a proximidade do momento de passar a palavra para um mediador, ou abrir a discussão ao público, para tecer elogios ao auditório, fazer uma citação pertinente ao tema, provocar uma reflexão e/ou convidar os ouvintes para exercitar as lições passadas na palestra.

3

Domine o assunto, estude-o à exaustão

Quanto menos há o domínio do conteúdo, maiores são as chances do palestrante se confundir ou passar informações equivocadas e incompletas – sem falar dos desconcertantes “brancos” na hora de falar. 

Assim sendo, tenha o assunto na ponta da língua. Não estudar o suficiente pode trazer insegurança, comprometendo sua fala e, por consequência, prejudicando sua credibilidade.

4

Planeje interações com os espectadores

Ao longo da palestra, inclua espaços para interagir com o público, isso deixará a preleção menos engessada.

Garanta a completa imersão dos ouvintes na apresentação, crie oportunidades de interação, faça perguntas para quebrar o gelo.

Acima de tudo, preste atenção no comportamento do público, se as pessoas estão dispersas ou atentas ao que é dito.

Assim, caso seja necessário, haverá tempo hábil para mudar as estratégias de abordagem e otimizar sua performance.

5

Conheça a estrutura do local e qual suporte multimídia usar

Para refrear possíveis contratempos em relação à logística e infraestrutura, visite o local com antecedência e saiba quais rotas tomar no dia decisivo para evitar atrasos.

Desse modo você conhecerá as dimensões do lugar da palestra, veja questões como iluminação, acústica, disposição dos equipamentos e se haverá tomadas suficientes.

Permaneça em constante contato com a equipe de assistência ou com a empresa responsável pela palestra/evento.

Procure como o conteúdo didático será transmitido aos participantes e se haverá equipamentos que darão suporte ao apresentador, como teleprompter, monitor de retorno, microfone e ponto de ouvido.

Se acaso não houver viabilidade de fazer uma visita antecipada à área da apresentação, busque vídeos e fotos como referência.

Estão gostando das dicas para uma boa apresentação? Ainda tem 5!

6

Crie slides

Na maioria das vezes, a exposição de ideias carece de estímulos visuais. 

A fim de ilustrar a fala do palestrante, slides são recorrentemente utilizados e, para isso, precisam ter informações bem estruturadas em tópicos e dotadas de uma identidade visual agradável:

  • Título simples;
  • Frases resumidas e legíveis – tópicos e subtópicos;
  • Uso consciente de cores;
  • Limite dos elementos que compõem cada slide.

7

Adote técnicas de oratória e saúde vocal

Seja em uma pequena reunião de negócios ou em apresentações para grandes plateias, o uso da oratória invariavelmente será o ponto chave do processo comunicativo.

Lance mão de técnicas de aquecimento vocal como trinados labiais, vibrações da língua, exercícios para estimular a musculatura do rosto.

Cuide da integridade das suas cordas vocais, evite comidas e bebidas extremamente quentes ou geladas e comidas que induzem a produção de secreção.

Ou seja, antes da apresentação, mantenha a voz em repouso, evite dar gritos e gargalhadas muito altas. 

8

Atente à linguagem corporal

Tão importante quanto a fala, a expressão corporal e a presença de palco também farão o diferencial para uma apresentação bem sucedida:

  • Corrija a postura, mantenha a cabeça erguida e coloque os ombros para trás; 
  • Evite gesticular em demasia ou ficar imóvel por muito tempo; 
  • Mantenha contato visual com o público, estabeleça conexão; 
  • Permaneça ereto, não descanse o corpo em uma das pernas; 
  • Evite dancinhas ou movimentos mecânicos que denunciam insegurança e nervosismo; 
  • Faça uso da respiração diafragmática.

Restam apenas 2 dicas para uma boa apresentação, anote tudo!

9

Faça uso do controle emocional

Talvez, ao menos uma vez na vida, todo mundo sentiu um friozinho na barriga quando teve que falar em público.

Tal desconforto se manifesta sob a forma de tremedeira, sudorese, boca seca, palidez ou rubor, problemas gastrointestinais.

Sendo assim, para que o fator nervosismo não ponha tudo a perder, autocontrole é a solução. Por isso, muito antes da apresentação, procure superar o medo de falar em público aos poucos.

Aproveite oportunidades de expor suas opiniões no dia-a-dia, treine sua capacidade de expressão. Se julgar necessário, procure a ajuda de um especialista para orientação mais personalizada.

O controle emocional será imprescindível em momentos de tensão, caso haja algum problema técnico na hora de uma conferência, por exemplo.

Em resumo, manter a calma é uma das premissas para a gestão de crise eficaz e para contornar outros contratempos que possam surgir. 

Não abandone o palco, afinal, como diria o Queen, “the show must go on“.

10

Praticar, errar, corrigir, praticar de novo

Treine à exaustão. Revise o conteúdo quantas vezes forem necessárias.

E não esqueça que sua presença naquele local é estimada por muitos. Lembre-se que você foi escolhido/selecionado por algum motivo. Autoconfiança sempre!

Gostou das dicas para uma boa apresentação?

Agora que você já conhece todas as etapas para ter êxito na elaboração de uma palestra, desde a ideia inicial até criação de conteúdo, dinâmica e execução, é hora de colocar a mão na massa. 

Faça bom uso deste planejamento para a preparação do seu material e boa apresentação!

Share on linkedin
Share on email
Share on facebook
Share on twitter