Felicidade no trabalho: “O jeito Harvard de ser feliz”__

Como conquistar a tão sonhada felicidade no trabalho? A maior parte das pessoas acredita que o empenho leva ao sucesso. E, se alcançarmos o sucesso, seremos felizes. Será? De acordo com Shawn Achor, autor de “O jeito Harvard de ser feliz”, pesquisas nos campos da Psicologia Positiva e da Neurociência comprovam que a relação entre sucesso e felicidade funciona de maneira inversa, pois é a felicidade que impulsiona o sucesso.

Achor chegou a essa conclusão após pesquisar mais de 1.600 alunos de Harvard e inúmeras empresas da lista Fortune 500, em todo mundo. “Quando terminei de coletar e analisar esse enorme volume de pesquisas, pude isolar sete padrões específicos, funcionais e comprovados de sucesso e realização”, explica o autor no livro.

Confira, a seguir, os sete padrões citados por Achor na obra:

1. O Benefício da Felicidade: Como o cérebro positivo possui uma vantagem biológica em relação ao cérebro neutro ou negativo, este princípio nos ensina como retreinar o cérebro para capitalizar a atitude positiva e melhorar nossa produtividade e desempenho.

2. O ponto de apoio e a alavanca: A maneira como vivenciamos o mundo, e a nossa capacidade de prosperar nele, muda constantemente a partir da nossa atitude mental. Este princípio nos ensina como podemos ajustar nossa atitude mental (nosso ponto de apoio) de maneira a nos dar o poder (a alavanca) para atingirmos a realização e o sucesso.

3. O efeito tetris: Quando o cérebro fica preso a um padrão que foca o estresse, a negatividade e o insucesso, nos condicionamos ao fracasso. Este princípio nos ensina como retreinar o cérebro para que identifique padrões de possibilidade, de forma que possamos perceber — e aproveitar — as oportunidades que encontramos pelo caminho.

4. Encontre oportunidades na adversidade: Diante da derrota, do estresse e da crise, o cérebro mapeia diferentes caminhos para nos ajudar a sobreviver às adversidades. Este princípio diz respeito a encontrar o caminho mental que não só nos tira do fracasso ou do sofrimento, mas também nos ensina a sermos mais felizes e mais bem-sucedidos

5. O círculo do zorro: Quando nos vemos em dificuldades e nos sentimos sobrecarregados, nossa lógica cerebral pode ser dominada pelas emoções. Este princípio nos ensina a retomar o controle concentrando-nos primeiro em metas pequenas e factíveis e só depois expandindo gradativamente o nosso círculo para atingir metas cada vez maiores.

6. A regra dos 20 segundos: Muitas vezes sentimos ser impossível manter uma mudança por muito tempo porque nossa força de vontade é limitada. E quando nossa força de vontade falha, voltamos aos nossos velhos hábitos e sucumbimos ao caminho da menor resistência. Este princípio mostra como, por meio de pequenos ajustes de energia, é possível redirecionar o padrão da menor resistência e substituir maus hábitos por bons.

7. Investimento social: Diante de dificuldades e estresse, algumas pessoas escolhem se isolar e se retirar para dentro de si mesmas. Mas as pessoas mais bem-sucedidas investem nos amigos, colegas e parentes para continuar avançando. Este princípio nos ensina como investir mais em um dos mais importantes fatores preditores de sucesso e excelência — nossa rede social de apoio.

“O jeito Harvard de ser feliz”- onde encontrar o livro: clique aqui

Felicidade no trabalho: atitude mental mais positiva

No livro, Achor não aborda apenas o tema Como podemos ser mais felizes? Ele nos ensina a colher os frutos de uma atitude mental mais positiva que proporcione efeitos extraordinários no nosso trabalho e na nossa vida. Leitura obrigatória para todos que buscam a excelência em um mundo onde a carga de trabalho, o estresse e o negativismo estão cada vez maiores.

Sem falar que no Relatório Mundial da Felicidade / 2021 – elaborado pela empresa de pesquisas Gallup em parceria com a Organização das Nações Unidas (ONU) – o Brasil aparece na 41ª posição no ranking, uma queda de 12 posições em relação ao levantamento em 2020. Claro que a crise econômica global, fruto da pandemia de Covid-19, e o cenário político nacional afetaram esse resultado, mas os profissionais brasileiros sofrem com a instabilidade econômica há décadas, por isso precisamos trabalhar mais a atitude mental positiva.

Tanto que os Estados Unidos, um dos países mais afetados pela Covid-19, melhorou quatro posições no relatório aparecendo em 14º lugar este ano. Além dos países mais felizes do mundo, o relatório também analisou os lugares onde as pessoas são mais miseráveis. Em 2021, países como Afeganistão, Zimbábue, Tanzânia e Jordânia foram classificados como alguns dos mais infelizes do mundo.

Confira, a seguir, os 20 países mais felizes do mundo:

1.Finlândia
2.Islândia
3.Dinamarca
4.Suíça
5.Países Baixos
6.Suécia
7.Alemanha
8.Noruega
9.Nova Zelândia
10.Áustria
11.Israel
12.Austrália
13.Irlanda
14.Estados Unidos
15.Canadá
16.República Checa
17.Bélgica
18.Reino Unido
19.China
20.França

Leia também: Dicas para estimular a criatividade

Gostou deste artigo? Confira mais em nosso blog e compartilhe nas redes sociais!

Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Open chat
Estamos online!
Olá 👋🏻
Podemos te ajudar?