Meios de Pagamento: O desafio do Varejo__

Este artigo foi escrito por Alexandre Guimarães para a ebdi.

Qual o desafio do Varejo com os Meios de Pagamento?

A evolução dos meios de pagamentos vem acontecendo rapidamente. O que antes só era visto em filmes agora já pode ser encontrado em uma loja pertinho de você.

Assim como pedir um café, que era supersimples, mudou. Isso mesmo, acabou aquele lance de pedir um simples expresso.

Agora você escolhe o tipo do café, a intensidade, escolhe até a localidade do café. Escolhe se quer com leite (com lactose ou sem), entre muitas outras opções.

São “N” variedades que até um simples cardápio da cafeteria se tornou complexo.

No final o garçom ainda pergunta: adoçante ou açúcar? Se responder adoçante, vem a pergunta: qual tipo? Aspartame, ciclamato de sódio, frutose, manitol, sacarina, sorbitol, sucralose.

E se responder açúcar: refinado, demerara, mascavo, orgânico, light.

Aromas, texturas, sabores exuberantes e experiências sem iguais, isto tudo é o que está por trás de uma magnífica xícara de café, deu pra entender toda a mudança?

E como funciona com os Meios de Pagamento?

A mesma coisa começa a acontecer com os Meios de Pagamento, aí vem a hora do consumidor retribuir a complexidade para o estabelecimento.

A cada dia vem aparecendo novos meios que obriga desde o pequeno varejista até o grande a se adequar a essa nova experiência.

O que antes era só a pergunta: dinheiro ou cartão? Agora, também vai ter que ser: quer pagar como? Teremos que estar preparados para isso.

Pagar é uma das experiências do consumidor dentro do varejo.

Vamos analisar alguns destes novos meios de pagamento:

Imagine entrar em uma loja e sair sem ter nenhuma interação humana, sem caixa e sem vendedor.

Este é um conceito que vem sendo falado direto e que já existe aqui no Brasil. Recentemente visitei uma loja assim em São Paulo.

Você entra, pega os produtos que já são contabilizados em sua cesta virtual e no final ao sair, você válida em um monitor as compras e confirma o pagamento que já é debitado do seu cartão, simples assim.

Isto é possível porque, ao entrar você escaneia o QRCODE que já identifica que você está na loja, os produtos possuem etiquetas RFID e no final escaneia o QRCODE de saída que abre a porta para o cliente sair.

Bem, este conceito me fez atravessar São Paulo, apenas para conhecer a loja em questão, só porque queria viver essa experiência.

Este mesmo modelo de meio de pagamento também já existe através de Reconhecimento Facial ou através do escaneamento da Iris

Entrar em uma loja e sair sem precisar enfrentar filas, este é o sonho de todo consumidor, por isso que as vendas via internet crescem cada vez mais, devido a facilidade e praticidade.

Segundo o EBIT | Nielsen:

O e-commerce brasileiro teve um crescimento de 12% no faturamento do primeiro semestre de 2019 (R$ 26,4 bilhões) em relação ao de 2018 (R$ 23,6 bilhões). 

Enquanto o varejo físico vem perdendo o consumidor. 

“O Varejo físico não vai morrer, o Varejo chato sim”. 

Emily Wengert, SXSW 2018

O grande desafio do varejo é transformar a loja física em uma grande experiência para o cliente e existem diversas formas, os meios de pagamento entram neste desafio.

O conceito scan&go

O conceito scan&go também vem crescendo no varejo. 

Neste caso o cliente precisar ter o app da loja. Ao chegar, pega um produto escaneia no app o código de barras ou QRCODE e ao terminar apenas finaliza a compra pagando direto pelo app.

O vendedor apenas acompanha o cliente validando a sacola, ou como um amigo disse, se você tiver coragem deixa o cliente fazer tudo só e ir embora.

ContactLess

Outro meio já mais comum de vermos é o ContactLess, apenas via aproximação de cartão, relógio ou até mesmo pulseiras.

Isso acontece através de uma conexão via rádio frequência. Podemos ver este modelo em diversos comerciais das principais operadoras de cartão. 

Ewallets

Neste mesmo modelo de ContactLess, porém com muito mais segurança, temos as ewallets, ou carteiras digitais.

Estas são baseadas em softwares de criptografia que criam uma identidade financeira digital.

Ao realizar uma compra é gerado um token específico para a transação, sem ter a necessidade de digitar uma senha. Também pode ser realizada a validação via reconhecimento facial ou biométrico.

Desta forma, as compras via internet ficam bem mais seguras e até mesmo no varejo físico, pois basta ter o seu smartphone devidamente configurado com sua ewallet e aproximar junto ao pinpad ou pós da loja.

Exemplos de ewallets: Apple Pay, Samsung Pay e Google Pay.

Criptomoedas

Temos também as Criptomoedas, as famosas moedas digitais, crescendo cada vez mais junto ao mercado financeiro.

 Já podemos encontrar alguns estabelecimentos recebendo as cryptos, a mais conhecida é o Bitcoin, mais um meio bem seguro onde é realizado o pagamento através de um QRCODE gerado na hora.

Todo este movimento vem impactando as grandes operadoras do mercado. 

Podemos ver a queda drástica das ações da Cielo junto a bolsa de valores. 

A questão é que teremos que dar um jeito de colocar dentro do varejo físico, do pequeno ao grande, todos estes meios criando uma nova experiência.

Lembram do café?

Antes era mais fácil, ao abrir uma loja a única preocupação era com as bandeiras de cartão que tínhamos que aceitar no PDV.

Agora, temos que pensar fora da caixa. Mas não basta só pensar, tem que jogar a caixa fora.

Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter

Confira mais artigos em nosso blog!