Pesquisa revela que CEOs estão confiantes na recuperação da economia global__

CEOs estão confiantes na recuperação da economia global e acreditam no crescimento de suas empresas, após enfrentarem mais de um ano de pandemia de Covid-19. Esse foi o resultado da pesquisa realizada pela PwC com 5.050 líderes empresariais em 100 países, incluindo o Brasil.

O cenário apresentado pela 24º edição da Pesquisa Global com CEOs da PwC (24th Annual Global CEO Survey) também aponta que as pandemias e outras crises sanitárias tornaram-se as maiores preocupações dos líderes no mundo.

No Brasil, a preocupação com crises sanitárias assumiu a segunda posição no relatório. O primeiro lugar ficou com as incertezas em relação à política tributária, as ameaças cibernéticas e “misinformation”, que passaram a ganhar destaque não só em nosso País como no mundo.

As ameaças cibernéticas, por exemplo, passaram da 4º para a 2º posição no ranking da pesquisa global este ano. E as incertezas quanto a política tributária da 15º posição para o 6º lugar.

Recuperação da economia global: CEOs brasileiros estão confiantes

No Brasil, 85% dos CEOs acreditam que a economia global terá um desempenho melhor em 2021. Isso representa uma reversão da tendência apurada nas pesquisas anteriores da PwC.

Um dado relevante é que quando indagados quanto as ameaças consideradas no gerenciamento de riscos estratégicos: “os CEOs brasileiros têm foco maior em obrigações tributárias e volatilidade cambial, mas menos em”, confira:

• Ameaças cibernéticas

• Disponibilidade de competências essenciais

• Distúrbios na cadeia de abastecimento

• Mudanças climáticas e danos ambientais

Expectativas de contratações

O relatório revela ainda que “o otimismo dos CEOs brasileiros sobre o futuro se reflete na expectativa de contratações”. Nos próximos 3 anos, eles esperam ampliar o quadro de funcionários em 31%. No mundo, a estimativa dos líderes é de crescer o número de colaboradores em 17%, até 2024.

Os CEOs apostam também, de acordo com a pesquisa, “na automação para impulsionar produtividade e dão atenção a competências e adaptabilidade da força de trabalho”.

Abaixo, as principais mudanças previstas na estratégia para a força de trabalho para causar maior impacto na competitividade da empresa (resultados Brasil / Global):

Foto divulgação: relatório PwC

Investimentos no Brasil

Segundo a pesquisa, “transformação digital, liderança e desenvolvimento de talentos e segurança cibernética são focos de investimentos no Brasil”. Já o “percentual dos CEOs brasileiros que consideram as mudanças climáticas uma preocupação extrema mais que dobrou no último ano – passando de 14% em 2020 para 35% em 2021.”

“É um movimento mais acentuado do que o global, que registrou crescimento de 24% para 30%. No entanto, os líderes globais estão mais atentos ao tema em suas atividades de gestão de riscos estratégicos: 40%, em contraste com 32% dos brasileiros”, aponta o relatório.

Outro dado relevante da pesquisa é que “39% dos líderes entrevistados acreditam que suas empresas precisam fazer mais para medir seu impacto ambiental e 43%, o maior percentual entre todas as categorias, acreditam que é preciso fazer mais em termos de divulgação”.

Aspectos de inovação, estratégia de negócios e práticas envolvendo a força de trabalho também ganham destaque.

Uma das formas de se aprofundar sobre os desafios da liderança é debatendo e dividindo experiências com líderes de vários setores. Participe do CEO – a reunião virtual terá cerca de 50 executivos. Clique aqui para mais informações.

Leia também: Pesquisa inédita no Brasil revela investimentos das empresas nas áreas de TI

Gostou deste artigo? Confira mais em nosso blog e compartilhe nas redes sociais!

Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Open chat
Estamos online!
Olá 👋🏻
Podemos te ajudar?