Universidade Corporativa: sua organização investe no capital humano?__

A Universidade Corporativa (UC) ganha cada vez mais espaço dentro das organizações com a chegada de novas tecnologias. A General Motors  foi pioneira ao apostar, em 1927, na criação do General Motors Engineering and Management Institute (GMI) dentro da companhia. E, a partir daí, mostrou ao mundo a importância de as empresas assumirem um papel na coordenação da educação dos colaboradores.

Hoje, a maior parte das universidades corporativas visa oferecer aos seus funcionários oportunidades de desenvolvimento profissional bem como ampliar ou mesmo padronizar os programas de treinamentos. E organizações que investem no capital humano têm um ambiente de trabalho motivador, o que é um diferencial para reter e atrair talentos.

Afinal, diante de tantas possibilidades para empreender na era digital, as organizações enfrentam atualmente um sério problema: fazer com que os colaboradores abracem suas missões. Isso porque o trabalho colaborativo ganha cada vez mais força e o engajamento dos times se dará pela causa e não pelo valor recebido. Leia matéria: Home office produtivo: seu time faz parte dessa realidade?

Universidade Corporativa: aprimore conhecimentos, habilidades e competências

Diante de um mundo tão competitivo, onde as transformações são constantes, as organizações têm enfrentado inúmeros processos de mudanças para atender e oferecer soluções aos clientes. Mas para obter êxito nessa empreitada é preciso aprimorar conhecimentos, habilidades e competências dos colaboradores, pois somente eles poderão contribuir de forma efetiva nos resultados do negócio.

Não é à toa que a Petrobras se tornou case de sucesso no Brasil quando o assunto é UC. A estatal tinha a difícil missão de encontrar colaboradores capacitados para trabalharem na exploração e produção de petróleo e gás natural, um mercado muito específico. E para sanar o problema fundou a Universidade Petrobras, que passou a formar mão de obra especializada.

Outro exemplo é a Ambev. No ano passado, a Universidade Ambev passou a se chamar Ambev On: uma plataforma muito mais moderna, cujo formato de distribuição de conteúdo é semelhante ao da Netiflix. O objetivo com essa reformulação era oferecer ao usuário uma experiência diferenciada para  impulsionar o aprendizado contínuo entre os funcionários.

Já o McDonald’s, por intermédio da Universidade do Hambúrguer, oferece uma infinidade de cursos voltados para negócios, inovação e liderança. A gigante do fast food foi a primeira organização do setor de restaurantes no mundo a investir na criação de uma UC. O objetivo? Desenvolver talentos visando reforçar os valores da companhia.

Educação a distância cresce na pandemia

Uma universidade corporativa geralmente funciona com aulas online, no formato EAD – ensino a distância. Esse modelo se tornou ainda mais eficaz com a pandemia de Covid-19, em função da necessidade do trabalho remoto.

E essa é um tendência que veio para ficar. Ao adotar um modelo de ensino a distância, além de reduzir custos, a Universidade Corporativa ajuda os colaboradores a se adaptarem a um nova realidade: o trabalho online. Leia matéria: Ensino a distância ganha força no ambiente organizacional.

Uma das formas de se aprofundar sobre esses e outros assuntos que envolvem a educação corporativa é debatendo com profissionais da área de recursos humanos. Participe do HR Rewards – a reunião virtual terá cerca de 50 executivos. Clique aqui para mais informações.

Gostou deste artigo? Confira mais em nosso blog e compartilhe nas redes sociais!

Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Open chat
Estamos online!
Olá 👋🏻
Podemos te ajudar?