Educação corporativa na era digital__

Um dos papéis da transformação digital é melhorar a educação corporativa. Tanto que as empresas atualmente apostam cada vez mais na formação de seus colaboradores. O que não faltam são tecnologias para isso. As plataformas de aprendizagem e as ferramentas online possibilitam a criação de estratégias eficientes, que promovem o engajamento dos times e impactam na motivação do dia a dia.

Por isso, a maior parte dos gestores de RH já enxerga a transformação digital como uma aliada no desenvolvimento dos colaboradores. Isso porque equipes bem preparadas não só melhoram a qualidade dos negócios, como geram vantagem competitiva. Sem falar que a agilidade nos processos, fruto das novas tecnologias, ajudam a atrair e a reter talentos.

Não é à toa que a Universidade Corporativa (UC), por exemplo, tem ganhado cada vez mais espaço dentro das organizações com a chegada de novas tecnologias. Claro que já tivemos bons exemplos no passado da importância de as empresas assumirem um papel na coordenação da educação dos funcionários.

Como a General Motors, que foi pioneira ao apostar, em 1927, na criação do General Motors Engineering and Management Institute (GMI) dentro da companhia. Mas somente agora na era digital que o mundo corporativo se rende a essa estratégia

Educação corporativa x capital humano

Hoje, muitas das universidades corporativas visam oferecer aos seus funcionários oportunidades de desenvolvimento profissional bem como ampliar ou mesmo padronizar os programas de treinamentos. E organizações que investem no capital humano têm um ambiente de trabalho motivador, o que é um diferencial para reter e atrair talentos.

Afinal, diante de tantas possibilidades para empreender na era digital, as organizações enfrentam atualmente um sério problema: fazer com que os colaboradores abracem suas missões. Isso porque o trabalho colaborativo ganha cada vez mais força e o engajamento dos times se dará pela causa e não pelo valor recebido.

Leia a matéria: “Universidade Corporativa: sua organização investe no capital humano?”

Ensino a distância

O Ensino a distância também ganhou força no ambiente organizacional. Mas para que a implementação do EAD atenda às necessidades dos colaboradores, é preciso criar uma estratégia que seja dinâmica, eficiente e interativa. Abaixo, confira algumas tendências de aprendizagem online que vêm sendo adotadas pelas organizações.

A sala de aula invertida, por exemplo, é um método de aprendizagem que inverte os papéis do mentor e do colaborador. Neste caso, o funcionário terá que estudar o conteúdo de cada módulo do curso antes das aulas remotas. É indicado para especialistas que precisam trocar ideias com mentores para aprofundar seus conhecimentos.

Ensino híbrido / Gamificação

Já no ensino híbrido, o colaborador tem aulas a distância e presenciais durante o período do curso. Isso é bom para quem ainda está se adaptando ao ensino online. Agora, uma das formas de estimular a interatividade das equipes – internas e externas – é apostando na Gamificação. A técnica simula ambientes de jogos de vídeo game, com missões que geram recompensas a cada objetivo atingido.

Microlearning , realidade virtual e educação continuada

A técnica do Microlearning – programa de absorção mais simples – é outra opção para as empresas. O método dividi o material do curso em blocos curtos e condensados para que os colaboradores obtenham conhecimento em menos tempo. É o tipo de abordagem de aprendizagem que transmite pequenas doses do conhecimento em uma curta duração.

Leia a matéria: “Time qualificado gera vantagem competitiva”

Para se aprofundar mais sobre esses e outros assuntos, participe do Corporate Education. Clique aqui para saber mais sobre o Encontro (vagas limitadas).

Gostou deste artigo? Confira mais em nosso blog e compartilhe nas redes sociais!

Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Open chat
Estamos online!
Olá 👋🏻
Podemos te ajudar?