O poder do propósito para engajar times__

Organizações que investem no propósito para engajar times, além de gerar vantagem competitiva, formam equipes mais dedicadas e qualificadas. Mas para que os colaboradores abracem os valores e objetivos da companhia e façam deles uma ideologia de vida, o departamento de Recursos Humanos (RH) precisa estimular um aprendizado constante em todos os setores da organização.

E uma das formas é incentivando a troca de conhecimento e rotinas de trabalho entre os times para que todos possam ter uma visão conjunta do que realizam, a fim de atingirem um propósito. Encontros constantes, por exemplo, entre os gerentes das áreas contribuem para a troca de expertise, pois cada profissional pode passar a sua visão do negócio e dar ideias para que haja mais interação entre as partes.

O RH também deve ouvir, ao máximo, os funcionários, o que faz com que eles se sintam como parte integrante da empresa e que suas ideias, reclamações, conflitos etc são bem-vindos. Isso porque a maior parte das organizações não dá poder de voz para seus colaboradores, o que os desestimulam e os fazem buscar novas propostas de trabalho.

Propósito na era digital

Mas por que o propósito se tornou uma estratégia poderosa para atrair e reter talentos? Basta analisarmos as empresas da chamada “nova economia”, como o iFood, Uber, Airbnb etc, que construíram modelos de negócios impensáveis junto com seus times visando atender os desejos dos clientes. Ou seja, foco total no ser humano, tanto se tratando do público interno como externo, e não em produtos ou serviços.

“Cada marca precisa ter um propósito muito claro. Que chegue não só ao usuário final, mas que impacte individualmente cada um que faz parte da organização. E o proposito do iFood hoje é alimentar o futuro do mundo”, ressalta Mairá Mendonça, head of marketing do iFood.

Agora, a maior parte dos líderes tem dificuldade em esclarecer o propósito e dividir isso com os colaboradores e o público externo. Sem falar que muitas vezes há dissonância entre o que as empresas desejam que o propósito seja e o que é comunicado por meio da cultura.

Por isso, além de uma boa comunicação interna, a educação corporativa tem que ser trabalhada como estratégia do negócio. Essa é a melhor forma de disseminar a cultura da empresa entre os colaboradores e ainda aprimorar conhecimentos e habilidades de cada um deles. Não é à toa que a Universidade Corporativa só cresce na era digital.

Universidade Corporativa

A Universidade Corporativa (UC) ganha cada vez mais espaço dentro das organizações com a chegada de novas tecnologias. A General Motors  foi pioneira ao apostar, em 1927, na criação do General Motors Engineering and Management Institute (GMI) dentro da companhia. E, a partir daí, mostrou ao mundo a importância de as empresas assumirem um papel na coordenação da educação dos colaboradores.

Hoje, a maior parte das universidades corporativas visa oferecer aos seus funcionários oportunidades de desenvolvimento profissional bem como ampliar ou mesmo padronizar os programas de treinamentos. E organizações que investem no capital humano têm um ambiente de trabalho motivador, o que é um diferencial para reter e atrair talentos.

Afinal, diante de tantas possibilidades para empreender na era digital, as organizações enfrentam atualmente um sério problema: fazer com que os colaboradores abracem suas missões. Isso porque o trabalho colaborativo ganha cada vez mais força e o engajamento dos times se dará pela causa e não pelo valor recebido.

Leia a matéria: Universidade Corporativa: sua organização investe no capital humano?

Ensino a distância

O Ensino a distância também ganhou força no ambiente organizacional. Mas para que a implementação do EAD atenda às necessidades dos colaboradores, é preciso criar uma estratégia que seja dinâmica, eficiente e interativa.

A sala de aula invertida, por exemplo, é um método de aprendizagem que inverte os papéis do mentor e do colaborador. Neste caso, o funcionário terá que estudar o conteúdo de cada módulo do curso antes das aulas remotas. É indicado para especialistas que precisam trocar ideias com mentores para aprofundar seus conhecimentos. Leia a matéria: Educação corporativa na era digital

Para se aprofundar sobre esse e outros assuntos, participe do Encontro Corporate Education, clique aqui (vagas limitadas: 50 executivos).

Gostou deste artigo? Confira mais em nosso blog e compartilhe nas redes sociais!

Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Open chat
Estamos online!
Olá 👋🏻
Podemos te ajudar?